“Flores de Aldeia” de Tomás Ribeiro (30.06.2012 na Casa do Concelho de Tondela em Lisboa)

Flores de Aldeia

de Tomás Ribeiro
Que fresca aldeia formosa
na margem do meu Pavia!
tão branca, tão buliçosa,
tão sussurrante e donosa
no seu copado arvoredo,
como festiva fogaça,
num dia de romaria,
toda vestida de cassa;
com lenço de seda verde
no airoso colo abraçado,
e um íris de mil matizes
na breve cinta apertado;
e no peito, e no cabelo,
o mais completo jardim!
Não achais o quadro belo?
Pois bem, a aldeia era assim.