O poder do sonho

O poder do sonho
Quando era menina
Queria ser bailarina,
Mas nunca aprendi a dançar!
Quis atravessar os mares,
Nadando como sereia,
Mas ficou-me só na ideia
Porque nunca soube nadar.
Mas uma coisa aprendi:
A voar. Eu sei voar!
Não é sonho, é realidade!
Tenho voado a vida inteira
Pelo céu de cada cidade,
Qual águia, qual querubim.
Voar é a minha paixão.
Ninguém me pode impedir!
Sigo sempre o coração
E os teus olhos a sorrir…
Filipa Duarte
In Sussurros e Clamores, 2008