30.11.2011 » Apresentação de “Sedução e Utopia” na Livraria Minerva em Coimbra

Decorreu na Galeria da Livraria Minerva, em Coimbra, o lançamento do mais recente livro de poesia de Filipa Duarte (14º quarto). Coube a Isabel de Carvalho Garcia fazer a apresentação, tendo sido a sessão ilustrada com leitura de poemas pela Autora e por alguns dos presentes.

Aqui fica o registo com fotos de Renato Silva.

Isabel de Carvalho Garcia começou por elogiar esta Engenheira Agrónoma que tal como António Gedeão (Rómulo de Carvalho) com formação em Ciências, é Poeta. Tal como ele, Filipa Duarte tem como fontes de inspiração o sofrimento, ou a constatação da solidão humana, ou o Sonho. O sonho comanda a vida em Filipa Duarte.

E assim, ICG iniciou esta sessão interactiva desafiando Filipa Duarte a ler o poema “O Sonho de Alice” (pág 13):

Alice, a menina
Com tez morena,
Sonhou com as estrelas
Brilhantes no céu.
Ouviu o mar
Escutou as sereias…

Um dia cresceu.
[…]

Continuando ICG referiu que «este livro de Filipa Duarte não precisa de ser apresentado. Ele mesmo se apresenta com os textos publicados no inicio de Sedução e Utopia. Textos do Vereador da Cultura da Câmara Municipal de Tondela, Dr. José António Jesus; do Prof. Universitário, Doutor António Soares Marques; do Jornalista e poeta, Aníbal José de Matos; do Médico poeta e contista, Dr. Garibaldi Bastos Quirino (Membro da Sociedade Brasileira de Médicos Escritores e ainda o texto da contracapa de Lucy Salete Bortolini Nazaro, escritora e Membro da Academia Palmense de Letras e da Academia de Letras e Artes de Pato Branco-Brasil.

Para o vereador da Câmara de Tondela Dr. José António Jesus, «Filipa Duarte é criativa, singular, determinada, sendo uma referência no domínio cultural que orgulha o seu concelho: Tondela.»

O Doutor António Soares Marques realça o AMOR/ AMAR pois estes são os vocábulos que mais vezes se repetem ao longo da maioria dos seus poemas. Amor sincero, como fio condutor da vida.

Também para Aníbal Jorge de Matos, jornalista e poeta, Filipa Duarte “respira poesia por todos os poros. FD não faz poesia, ela própria é poesia”.

Para Isabel C. Garcia este livro também não se pode considerar pura e simplesmente um livro de poemas. Este livro é uma autêntica lição de vida. Fruto de vivências, de sentimentos sentidos que nos são transmitidos com uma profundidade imensa, que nos tocam. Pelos seus poemas perpassam o amor, a paixão, a saudade, as lágrimas e a dor, mas também a alegria e a esperança.

Filipa Duarte é uma força da natureza (pág. 22).
Determinada… desistir nunca…(pág 44).

A poesia é um bálsamo para Filipa Duarte, é uma libertação que tem na autora o efeito de catarse e é Filipa Duarte que o confirma quando escreve.: “O meu interior é um tumulto/que acalma quando se solta”.

Também a sua actividade profissional está patente nos seus poemas com elementos da natureza embora por vezes esses elementos sejam citados de uma forma metafórica: “O poder da Lua”, “flor”, “corola”, “pétalas”, “antera”, “pólen”, “semente”, (pág.20), maresia e pôr de sol, entre outros.
O sonho está sempre presente na vida de Filipa Duarte mas também em histórias vividas pela autora com António Gedeão, José Saramago, D. Ximenes Belo» e que foram contadas na primeira pessoa a pedido de Isabel Garcia.

Deixamos aqui o texto de Filipa Duarte:
«Agradecimento – Coimbra
Coimbra dos Doutores, do inigualável Fado de Coimbra, do Choupal, onde corre o Rio Mondego, berço dos poetas como Al Berto, Camilo Pessanha, Sá de Miranda, Fernando Assis Pacheco, onde viveram e estudaram Eça de Queirós, Antero de Quental e João de Deus, Miguel Torga e António Nobre, onde se pensa que poderá ter nascido o nosso grande Poeta Luís de Camões que tão bem cantou os Amores de D. Pedro e D. Inês, e tantos outros que encontrei mencionados no Penedo da Saudade.

Mais um livro me nasceu…Como se mais um filho eu tivesse dado à luz – sedução e utopia!

Criei fortes raízes nesta Cidade de Coimbra por vários motivos:

O primeiro e muito importante – foi nesta maravilhosa Cidade, cheia de encantos mil, que tive os meus três filhos, dois dos quais estão aqui presentes;
Estive ligada profissionalmente durante décadas à Direcção Regional de Agricultura da Beira Litoral que tinha a sede na Rua Fernão de Magalhães;
Fiz uma parte do meu Mestrado na Universidade de Coimbra, nos Arcos, na área da Botânica onde encontrei bons Amigos;
Como podem verificar Coimbra não é só a Cidade dos Doutores, é para mim uma fonte de memórias eternas e valiosas.
E como o meu caminho se faz caminhando sinto-me feliz por estar hoje na Galeria da Livraria Minerva a apresentar o meu 14º livro – sedução e utopia, numa oportunidade que foi dada pela Dra Isabel Garcia, pela mão do Dr José Castanheira que não está presente por ter um compromisso com os Coros de que é Presidente e também pela mão amiga do Senhor Rui Bessa.
E o meu caminhar nunca foi feito sozinha. Essa é a maior riqueza de viver e de desfrutar a vida ao máximo.
Cumprimento e agradeço a presença dos meus Amigos e Colegas, da minha Família e de todos os convidados que tiveram a gentileza de quererem partilhar este momento tão especial comigo. Bem haja a todos!
Quero salientar a beleza da capa do meu livro que teve a Arte do meu filho mais novo na fotografia e no arranjo gráfico. Está totalmente de acordo com o conteúdo do livro. A Lua é do dia 15 de Junho, dia do eclipse total.
Cada apresentação é diferente da outra tal como acontece com cada livro que se escreve, sempre especial e única.
Mário Quintana escreveu um dia: “Se as coisas são inatingíveis… ora!/ Não é motivo para não querê-las…”
As coisas só serão inatingíveis se não as quisermos…
Normalmente gosto mais de seduzir e de me deixar seduzir do que pensar que as coisas são difíceis de alcançar.
Tento desfrutar em cada dia o máximo das coisas boas da vida, gosto do que é Belo e esse Belo tem implícito o Amor.
Este meu livro – sedução e utopia – foi comentado por vários escritores e Professores de Linguística. Desses comentários retirei os seguintes excertos:
…“Com efeito, AMOR/AMAR são os vocábulos que mais vezes se repetem ao longo da maioria dos textos, aliás magníficos, com que Filipa Duarte nos brinda mais uma vez neste seu balsâmico e apolíneo “thesaurus” poético. E não se trata de um amor fugaz, passageiro, volátil, mas de um amor sincero, vivido mas acima de tudo estuante de vida.” (António Soares Marques)
…“Em “sedução e utopia” encontramos a vida plena das efervescências dos sentimentos, que vão da alegria simples à tristeza, saudade, ao amor, aos sonhos e dos sonhos à realidade e da realidade aos sonhos…
Um livro maravilhoso que vale a pena ser lido para refletir a vida e vivê-la em plenitude.” (Lucy Salete Bortolini Nazaro)
…“Este seu livro SEDUÇÃO E UTOPIA mostra, de uma forma por demais evidente e não apenas pelo seu conteúdo estético, não somente a potencialidade mas a realidade duma mulher que respira poesia por todos os poros. (…)
Filipa Duarte não faz poesia. Ela é a própria poesia”. (Aníbal José de Matos)
Desejo que a apreciem agradecendo uma vez mais a presença de todos.
Ao dizer poesia voo no espaço.
Entro, num ápice, noutra dimensão.
Solto a alma e logo agarro num laço
O universo inteiro na minha mão.

Pela Poesia na Língua de Camões!
Filipa Duarte»

Transcrição integral do artigo retirado de
http://minervacoimbra.blogspot.com/2011/11/seducao-e-utopia-de-filipa-duarte-em.html