“Tondela, minha Cidade!” de Filipa Duarte (30.06.2012 na Casa do Concelho de Tondela em Lisboa)

Tondela, minha Cidade!

de Filipa Duarte
Tondela, minha Cidade,
Sempre airosa e florida,
Onde encontrei amizade
E um chão pleno de vida.
Ao acordar vejo a serra
Num contorno secular.
Ela enfeita e dá à terra
Uma beleza sem par.
Em cada canto um recanto
Que inebria quem quer ver:
Os verdes surgem num manto
Dum jardim sempre a crescer.
Há escolas em profusão,
Pessoas que vivem felizes.
Qualquer que seja a estação
Seres vivos criam raízes.
Dá gosto na Primavera
Ver as árvores floridas.
Perfumam a atmosfera,
Dão sombras apetecidas.
Logo que o tempo aquece
As andorinhas regressam.
Nenhuma delas esquece
Os beirais por onde passam.
São tal qual os emigrantes
Que regressam cada ano.
Chegam sempre confiantes,
Seu cantinho é soberano.
Tondela, deixa saudades,
A quem procura outra vida.
Pode haver muitas cidades,
Mas esta é a mais querida!